Oi touristas…

Mais uma história viajante pintando aqui no blog..

Dessa vez a leitora Marjorie enviou dicas bem bacanas de Budapeste, contando um pouco de tudo dessa cidade que morou por 2 anos…ou seja, ela tem propriedade para falar, certo?


Bora ver o que ela recomenda??!!!


Simbora….




Por Marjorie Rodrigues:

A capital da Hungria não costumava ser um destino muito comum nas eurotrips dos brasileiros, mas desde que Chico Buarque publicou um livro que se passa na cidade, muitos ficaram curiosos.

Budapeste: Pest, vista do Fishermans

Morei lá entre 2011 e 2013, para fazer mestrado na Central European University, uma universidade para estudantes estrangeiros no coração de Budapeste. Então conheço um bocado da cidade… E garanto: vale muito a pena dar um pulinho lá. Primeiro, porque é linda. Segundo, porque é muito barata!

Na Hungria, ainda não se usa o euro e a moeda local, o Forinte, é baratíssima. 100 forintes = 1 real.

Recomendo ir no verão (os invernos lá são bem rigorosos, neva bastante e a temperatura chega a -15). Mas, entre junho e agosto, a temperatura fica pela casa dos 30, 35 graus e é muito gostoso passear pela cidade.

Budapeste na verdade eram duas cidades, Buda e Pest, cortadas pelo rio Danúbio. Buda é montanhosa e mais residencial. A maioria dos pontos turísticos está em Pest, que é toda plana. É lá que você deve se hospedar.

Para quem quer uma acomodação mais chique, tem vários hotéis com vista para o Danúbio, mas a cidade também é ótima para os mochileiros, pois o que não falta é hostel baratinho.
Não se preocupe em comprar passes de metrô. O centro de Pest você pode fazer quase todo a pé. Se cansar, é só comprar bilhetes avulsos no metrô. O mesmo bilhete vale também para os bondes. Atenção: JAMAIS pegue o transporte público sem pagar, porque quando os fiscais aparecem em bando não têm a menor cerimônia em gritar com você!
Se quiser obter transporte ilimitado e descontos em museus, você pode comprar o Budapest Card, vendido no aeroporto, hotéis e em algumas estações de metrô.
Budapeste tem o metrô mais antigo da Europa continental, ou seja: só não é mais antigo que o de Londres. A linha amarela mantém os trens originais (reformados, claro) e a mesma arquitetura nas estações. É lindo! Não deixe de dar pelo menos uma voltinha.
Os passeios que eu considero imperdíveis estão abaixo. Tem uma porção de outras coisas, como a ópera, a sinagoga e a ilha Margaret. Mas esses são os meus favoritos:


Caminhar à beira do Danúbio, em Pest
Nada melhor do que caminhar à beira do Rio olhando para as montanhas do lado de Buda. Tem duas pontes lindas também: a primeira é Chain Bridge, feita de pedra e decorada com esculturas de leões. É o cartão postal da cidade. Mas um pouco mais adiante tem a Liberty Bridge, que na minha opinião é muito mais bonita e não dão o devido valor! O caminho é permeado por diversos barzinhos. Faça esse passeio também à noite, quando as pontes se iluminam.

Chain Bridge