O selo Turista Protegido na retomada do turismo no Brasil

O Governo Federal, através do Ministério do Turismo, criou o selo Turista Protegido para a retomada mais segura do turismo no Brasil.

A ideia é, por meio desse selo, certificar de forma visual aos turistas, os estabelecimentos, sejam eles quais forem (hotéis, restaurantes, atrações turísticas, etc…), quanto ao cumprimento das regras de higiene e proteção, que serão sugeridas no combate ao Coronavírus.

Isso tudo irá funcionar e será importante, logicamente, até uma vacina ser efetivamente descoberta e colocada a disposição de todos nós.

Clique aqui para dicas para viajar sem sair de casa.

O selo Turista Protegido

É um selo/imagem (abaixo) que estará visível a todos os frequentadores do estabelecimento, a fim de que saibam que ali são cumpridas todas as determinações de higiene e proteção, para que possam voltar a viajar e frequentar os lugares com mais segurança.

Veja que no próprio selo está escrito: “Seguimos as recomendações de boas práticas e biossegurança do Ministério do Turismo”.

selo turista protegido
Selo Turista Protegido

Os protocolos de segurança

A princípio, o Ministério do Turismo fala em, ao menos, 16 protocolos de segurança e higiene, que os estabelecimentos deverão atender para voltar a funcionar de forma segura e ganhar o selo Turista Protegido.

Esses protocolos ainda não foram definidos, mas, as tendências de alguns lugares pelo mundo e algumas práticas já adotadas indicam as novidades que devemos conhecer por aqui.

Tendências das ações de segurança para a retomada do turismo

1- USO DE MÁSCARAS

Seja para os turistas ou para os funcionários do local, o uso de máscaras será obrigatório.

2- HIGIENIZAÇÃO INTENSIFICADA

Todos os ambientes terão a limpeza intensificada.

Já eram limpos?

Sim, claro, mas a partir de então a higienização será muito mais detalhada, principalmente em superfícies comuns, como o balcão do check in de um hotel por exemplo.

Essa higienização intensificada também inclui a limpeza da mala do hóspede e a desinfecção completa do quarto no momento do check out.

3- 50% DA CAPACIDADE

Seja hotel, restaurante, atração turística, tudo indica que apenas 50% da capacidade do local poderá ser ocupada.

4- DISTÂNCIA ENTRE AS PESSOAS

Haverá a indicação da distância que uma pessoa deverá ficar da outra, com áreas delimitadas e marcações no chão, por exemplo, para eventual fila, cadeiras na praia, restaurantes, e assim por diante.

5- ÁLCOOL GEL

Dispenser de álcool gel deverá ser disponibilizado para todos, em vários locais do ambiente.

6- ÁREAS SOCIAIS FECHADAS

As áreas de lazer dos hotéis, como piscina, spa, academia, salão de jogos, etc, deverão permanecer fechadas durante a estadia no período de combate ao coronavírus.

Pode acontecer, também, das áreas sociais estarem abertas e funcionarem no sistema de revezamento.

7-  SERVIÇOS DE BUFFET

Seja em hotel ou restaurante, os serviços de buffet não funcionarão.

As refeições serão feitas apenas no modo a la carte, em um ambiente amplo e que garanta a distância entre as pessoas, ou no próprio quarto (no caso de hotel).

8- ELEVADORES

Funcionarão com número limitado de pessoas utilizando por vez.

9- MEDIÇÃO DA TEMPERATURA DO CORPO

Falam ainda que alguns lugares terão algum método para medir a temperatura do corpo da pessoa, a fim de identificar eventual suspeita da doença.

Exame de Covid 19

E será que os lugares/empresas poderão pedir o resultado do exame de Covid 19 para os turistas?

A resposta a essa pergunta é negativa.

Saibam que apenas autoridades sanitária podem fazer esse tipo de solicitação, sendo isso um ato de garantia da privacidade de cada um de nós.

Os protocolos de segurança da ANAC e ANVISA para a aviação

A Anac e a Anvisa já definiram as medidas de higiene e segurança para os aeroportos e aviões.

Os protocolos são, de uma certa maneira, o que já estava sendo praticado pelo setor, funcionando agora como regra.

Entre eles estão:

  • o uso de máscara pelos passageiros;
  • higienização intensificada em todos os cantos;
  • distância de 2 metros entre as pessoas, seja aonde for;
  • distância dos passageiros dentro do avião (resta saber como será feito isso na prática, na medida em que mesmo distante, a gente “não fica distante” dentro de um avião);
  • dispenser de álcool gel;
  • suspensão do serviço de bordo (caso haja o serviço, a alimentação será embalada e devidamente desinfetada.

Quanto a medição da temperatura do corpo, a Anvisa não recomenda na medida em que não é seguro o resultado, não servindo como base para saber se a pessoa esta contaminada ou não, e isso por causa das pessoas assintomáticas.

Veja que todas as medidas estabelecidas seguem as tendências de segurança colocadas acima e que estão sendo implantadas no mundo todo.

Uma outra dúvida bastante comum nesse momento, é sobre o ambiente fechado do avião e eventual facilidade de contato com o vírus por causa disso.

Dizem os técnicos, ao contrário, que o sistema de filtro que existe no ar condicionado dos aviões não só garantem a temperatura, como também fazem um filtro constante no ar que respiramos ali dentro, o que vai de encontro com esse tipo de preocupação.

Enfim…. estamos cientes que o “novo normal” está por vir (já está acontecendo, na verdade) e que teremos que conviver com ele, ao menos, até ser encontrada a vacina contra o coronavírus.

Salve essa dica no seu pinterest e compartilhe com seus amigos:

selo turista protegido
selo turista protegido

Assista a essas dicas e as medidas de segurança que já foram definidas pela Anac e Anvisa para os aeroportos e aviões:

Compartilhe este post:

Deixe um comentário